Pessoas voltadas para pessoas

“Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros.” – João 13.34-35. Ao longo dos anos tenho escutado que os cristãos estão em busca da sua identidade. Mesmo respeitando a individualidade e personalidade de cada um, creio que a nossa identidade está descrita em João 13.35: “Todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros”. Cada um de nós mantém sua individualidade como marca da criação de Deus, pois cada pessoa é única, mas existe uma peculiaridade no povo de Deus que é o nosso RG: o amor.  Nosso comportamento e estilo de vida devem estar alinhados com o que somos em Cristo, ou de acordo com o que Cristo é em nós. Portanto, nossa identidade revela que somos de Deus, chamados por Deus para conhecê-lo, glorificá-lo, mostrar quem Ele é para um mundo perdido e para amarmos uns aos outros. Não podemos ser cristãos apenas quando nos encontramos nos templos (cantando as músicas, contribuindo com alguma coisa aqui e ali e esperando para ser ministrado), mas ser Igreja fora dos portões da igreja. Precisamos deixar de amar prédios, bancos, cadeiras, instrumentos e programações, mesmo sendo tudo isso necessário, precisamos amar as pessoas. Essa deve ser a direção, caminho e endereço do nosso amor: pessoas de perto ou longe, conhecidas ou não, ricas ou pobres. As pessoas que se voltam para outras pessoas são aquelas que estão dispostas a abrir mão do conforto, deixar de lado conceitos, abolir preconceitos, doar-se mais do que doar; investir tempo e recursos. Mesmo que, no conceito de outros, essas atitudes pareçam um desperdício de tempo, não resultem em lucros financeiros e crescimento de nossa igreja local. Jesus, nosso principal e talvez único exemplo, investiu tudo: tempo, vida, reino, deixou de ganhar dinheiro, lavou os pés da galera que andava com Ele, repartiu os pães e peixes que ganhou e abriu mão da sua Glória para que o ser humano conhecesse o amor verdadeiro. Ninguém amou como Ele amou! Ele nos desafia a sermos uma geração de pessoas voltadas para pessoas, conhecidos pelo nosso amor. Vamos nessa?

Pr. Silvio Medeiros  Pastor da Igreja Cristã da Trindade em Atibaia/SP, missionário entre os árabes no Brasil e diretor da AMAC (Associação Missionária de Ajuda Cristã).
Fonte: http://www.portasabertas.org.br

Compartilhar