Arqueologia: Sinagoga que Jesus teria frequentado

Notícias

Durante uma escavação para a construção de um resort na região do Mar da Galiléia, arqueólogos encontraram os restos de uma sinagoga do primeiro século, e a descoberta revelou a exata localização da cidade de Migdal, ou Magdala. A Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA) afirmaram que a sinagoga era uma construção contemporânea do Templo de Jerusalém, e faz parte de um grupo de outras seis sinagogas que foram descobertas recentemente. Arqueólogos dizem ter encontrado um bloco de pedra que provavelmente foi usada como uma tábua onde a Torá era lida, e acreditam que seu desenho era uma réplica em miniatura do Segundo Templo em Jerusalém. No entanto, a principal notícia sobre a descoberta é a possibilidade de Jesus ter frequentado a sinagoga e ter ensinado ao povo no local: “Nós não entendemos completamente o potencial [histórico] dessa pedra ainda”, afirmou Arfan Najar, arqueólogo e co-diretor da escavação em Magdala, numa entrevista ao New York Times. 
“Quem fez isso [a pedra para leitura da Torá] viu o templo com seus próprios olhos”, acrescentou o arqueólogo. O resort que seria construído no local seria voltado a cristãos que peregrinam pela Terra Santa e que buscam uma opção de descanso. Os responsáveis alteraram o projeto inicial e agora buscam levantar os recursos necessários para a conclusão da obra.

Compartilhar