“O mundo não precisa de mais religião”, comenta David Quinlan

Entrevista Notícias

Desde menino David Quinlan já trilha o caminho de missionário. Deixou as terras irlandeses ainda criança para dedicar-se, junto aos pais, a missões no Brasil e até hoje tem consagrado a vida para propagar o Evangelho a partir da adoração.

Junto a esposa Bebel Quinlan criou o projeto social “ComPaixão” que tem sido um refúgio para dezenas de jovens da periferia. Além do projeto, David atua em diversos movimentos de adoração pelo Brasil e fora do país.

Autor de sete álbuns musicais, o cantor esteve na IBTA na última quinta-feira (14 de junho) para o Congresso de Missões “Nada pode nos Calar”. Durante a oportunidade, David concedeu uma entrevista exclusiva para falar sobre o grande amor ao “Ide” de Jesus.

IBTA: Missões têm alguma relação para você com a adoração?

David Quinlan: Adoração tem a ver com intimidade e uma vez que você conhece o coração do Pai (através da adoração), você entende a importância do “Ide” que bate forte em Seu peito.

IBTA: Na sua história você relata que veio para o Brasil em missões com os pais, qual a relevância da missão no seu ministério?

David Quinlan: Muito grande, pois desde pequeno esta tem sido a minha vida: deixar tudo pra trás pra viver o “ide” de Deus. Deixamos família na Irlanda/Inglaterra, cultura, estabilidade para nos aventurarmos em um país completamente diferente do nosso de origem, mas embora no início tenha sido difícil, a mesma tem sido um aventura incrível e não trocaria por nada.

Continuamos vivendo isto até hoje, pois mesmo no Brasil a Bebel (esposa do David Quinlan) e eu vivemos bem longe de nossas familiares tendo que sempre contar com a grande família com a qual Deus nos presenteou em BH.

IBTA: Você viaja frequentemente para diversos estados brasileiros e para fora do país. Na sua opinião, com tem sido o trabalho missionário dentro e fora do Brasil?

David Quinlan: Tem sido bom, mas sempre existe espaço para melhorar, contudo uma negativa, no meu ponto de vista, tem sido o levantamento de recursos para a área de missões. Creio q a igreja pode/deveria se envolver mais com este projeto que leva a palavra de Deus onde muitos não vão.

Missionários precisam do nosso amor e nossa cobertura, precisam se sentir amados sempre. No campo também existem muitas limitações, como a cultura, a língua (quando no exterior), a religiosidade de cada um, contudo sabemos que não é por força, nem por violência, mas pelo Espírito de Deus.

IBTA: Para você o que é de fato missões?

David Quinlan: Ir sem olhar para trás. Estar convicto do seu chamado e se lançar na dependência de Deus, sabendo que Ele é quem faz e sempre fará a diferença. O mundo não quer e não precisa de mais religião, o mundo precisa é conhecer o amor verdadeiro que faz a diferença, o amor de Cristo.

 IBTA: Fale um pouco sobre o projeto COMPAIXÃO

Bebel Quinlan: Conhecemos o aglomerado da Serra e nos apaixonamos pelo lugar e pelo povo, já estamos lá há doze anos.

Atendemos crianças e adolescentes. Eles têm aula de reforço escolar, estudo bíblico, culinária, educação física e graças a uma parceria os levamos para natação.

Oferecemos alimentação e cestas básicas, fazemos passeios e comemoramos os aniversários, Páscoa, Natal, Dia das Crianças. E uma das coisas que nos traz muita satisfação é encaminhá-los ao primeiro emprego.

Os participantes entram no Projeto aos oito e saem com quinze anos. Na última turma encaminhamos os meninos para DRE, Tribunal de Justiça.

IBTA: Deixe uma mensagem para à Igreja.

David Quinlan: Aproveitem ao máximo cada instante que tiveram durante o Congresso. Abra o coração para dar o seu melhor através da adoração (intimidade) e depois seja cheio da plenitude do coração do Pai e deixe o mesmo bater em seu peito – sei que isto fará toda diferença.

 

:: Érica Fernandes

Compartilhar